Conversa para mais (B)logo

PENSAMENTOS VARIADOS, AO SABOR DO VENTO... conversaparamaisblogo@hotmail.com

quarta-feira, julho 05, 2006


INFORMALIDADES

É tema da mais recente exposição de Isabel Castilho.
Convidativa e diferente, estará patente no Centro de Documentação da Câmara Municipal de Lisboa (Campo Grande) até ao próximo dia 17 de Julho.

quinta-feira, junho 29, 2006

DESPEDIDA

Sinto que te devo dizer isto hoje, no dia em que se comemorava o teu nascimento.
Sonhei contigo há dias. Estavas serena e o teu olhar sorria, tal como sorrias para mim.
Pedi-te para vires comigo. Chamei-te “minha”.
Respondeste que não sabias quem eu era e que não me eras nada.
Assustaste-me. Surpreendeste-me. Angustiaste-me.
Mas continuavas feliz…
Acordei perturbada com a sensação de perda, mas compreendi o que me quiseste dizer…
Não te chamo mais. Já não tenho esse direito…
Sê, pois, muito feliz na tua nova Vida, na qual eu serei apenas uma estranha, tal como no sonho.
Deixa-me apenas recordar-te Avó, tal como eras.

sexta-feira, fevereiro 17, 2006

O homem não é o mundo em viva síntese consciente? A Natureza, para o criar, serviu-se de todos os seus materiais. Nós somos um edifício construído por fora com toda a terra e iluminado, por dentro, com todas as estrelas.

E nele, vive silencioso e prisioneiro, o fantasma do ser Arquitecto.

Teixeira de Pascoaes

HÁ DIAS ASSIM...

“O trabalho fascina-me tanto, que chego a ficar parado, a olhar para ele, sem conseguir fazer nada...”

segunda-feira, novembro 21, 2005


DESÇAMOS À TERRA…

Estou em crer que a ameaça de pandemia não é só a da gripe das aves, já que, pelo vistos, os sintomas de novo-riquismo começam também a ameaçar seriamente alguns dos cérebros deste país…
"Jorge Sampaio quer levar o golfe às escolas" (notícia do Diário Digital).

Está tudo correcto em teoria, e a prática de desporto é deveras salutar, mas sabendo nós muito bem que o golfe não é propriamente uma actividade desportiva que em Portugal esteja ao alcance de todos, será correcto estimulá-la nas escolas (ou dizer-se que o deve ser, nos tempos que correm), para depois e na prática, apenas por alguns poder ser praticada? E o que dizer da prática de golfe nas escolas que nem sequer aquecimento têm? Ou naquelas cujos alunos são maioritariamente de bairros carenciados? Pois é, o velho hábito de ter de se dizer sempre qualquer coisa, por vezes “dá buraco”…

CONTEMPLAÇÃO
Mãe e Filho
Esta é uma formação rochosa na beira de um lago na Birmânia.
Esta foto só é possível em um determinado período do ano, devido à luminosidade pela inclinação do sol.



Contemplo o lago mudo
Que uma brisa estremece.
Não sei se penso em tudo
Ou se tudo me esquece.

O lago nada me diz,
Não sinto a brisa mexê-lo
Não sei se sou feliz
Nem se desejo sê-lo.

Trémulos vincos risonhos
Na água adormecida.
Por que fiz eu dos sonhos
A minha única vida?
Fernando Pessoa
FALANDO EM CANDIDATOS…
Na sua recente visita aos Estados Unidos, Mário Soares e sua esposa, hospedaram-se num luxuoso Hotel.
Cerca das 17h00, Mário Soares agarra no telefone, chama o serviço de quartos e diz:
- "TU TI TU TU TU TU".
A recepcionista não compreende o que quer dizer Mário Soares e crendo que se tratava de uma mensagem cifrada, avisa imediatamente o FBI.
Num ápice, apresentam-se dois agentes do FBI e postos ao corrente, e não conseguindo descriptar a mensagem decidem chamar a CIA.
Os serviços secretos mandam mais dois agentes ao hotel e começam a investigar e a tentar decifrar a mensagem, mas sem qualquer resultado.
Entretanto, Mário Soares, volta telefonar e recepcionista, agentes do FBI e da CIA ouvem Mário Soares repetir:
- "TU TI TU TU TU TU"
Desesperados os agentes resolvem chamar o tradutor oficial da embaixada dos Estados Unidos em Portugal.
Um caça supersónico do Pentágono recolhe imediatamente, no aeródromo do Figo Maduro, o respectivo tradutor que é conduzido sem mais delongas aos Estados Unidos.
Chegado ao hotel e posto ao corrente da situação o tradutor disfarça-se de criado, vai aos aposentos de Mário Soares e descobre o mistério.
O ex-presidente Português e actual candidato tinha querido dizer
- "Two tea to 222"...
CANDEIA QUE VAI À FRENTE…

Perante tanto agastamento nos seus discursos, será que alguém poderia fazer o favor de relembrar ao candidato Dr. Francisco Louçã que as próximas eleições são para a Presidência da República e não para a respectiva Assembleia? Ou estará ele a fazer desta pré-campanha apenas uma oportunidade para ir aparecendo e a sua intenção será a de desistir a favor de um outro daqui por uns tempinhos?

sexta-feira, novembro 18, 2005



TERTÚLIA HOJE

"A Palavra - Espiritualidade Sem Religião", conduzida por Nuno Serrão e Maria João.
Na Galeria Matos Ferreira (ao Bairro Alto - R. Luz Soriano, 14 e 18), com início às 21h30.
Como sempre, será assegurado serviço de bar até final do evento.


OS ECOS DO SILÊNCIO

É não sem algum esmorecimento, e enfado até, que os portugueses têm assistido ao desenrolar da actual pré-campanha presidencial. Longe de honrar aquela que é, ou que se pretende que seja, a “mais alta magistratura da Nação”, tem vindo, todavia, e dia após dia, a girar em torno da mera politiquice, tendendo fortemente para o declínio do nível da discussão.

Primeiro foram os feitos passados, as aparentes características de personalidade e de modo de interacção social, depois a irrelevância do saber económico para combater o “fantasma” do défice, imediatamente seguido dos conhecimentos académicos, do grau de cultura, do estado de saúde devidamente comprovado por boletins médicos, e agora o silêncio e a “pseudo-psicanálise”. Tudo isto com um propósito: o aumento das percentagens de intenções de voto.
É despropositado, simplista e, acima de tudo, lamentável numa eleição que deve primar pela seriedade e elevação.

A conclusão evidente a retirar deste quadro é que Mário Soares, habituado que está a ter palco e atenções, vai revelando o seu gradual desconforto perante a ausência de resposta às farpas que constantemente lança aos seus adversários (tendo erigido um deles em particular), farpas essas maioritariamente impregnadas de uma arrogância intelectual descabida e petulante face a uma imagem de proximidade aos cidadãos que tem vindo a ser cultivada em seu torno.

No seu exaspero por uma reacção que tarda em se fazer sentir ou apenas fugazmente se sente, Mário Soares esquece-se, porém, de um relevante pormenor: é que a sociedade evoluiu, de facto, como já o sublinhou, mas essa evolução fez-se também no sentido de - sobretudo numa campanha presidencial - já não se deixar influenciar tão fortemente por picardias e discursos mordazes como os que Mário Soares era exímio em fazer em tempos há muito já idos. Os tempos, de facto, são outros e ainda bem que o são.

Contudo, como diz a expressão popular, há males que vêm por bem e se a temática passar a ser a psicanálise, então esta pode ser uma magnífica oportunidade para, aos poucos, se ir desvelando aos olhos dos portugueses o verdadeiro Mário Soares que estará sob a imagem paternalista, receptiva, e conciliadora que insiste em passar.
(Publicado também no Democracia Liberal)


A UMA VELA A ARDER
Vela que em mares de esplendor navegas
por canduras brilhantes estendida,
até te esvaíres, toda esvaída,
e cega por brilhar, até que cegas;
se serena luz há, logo te anegas;
com a tormenta ficas submergida;
com breve sopro foges de tua vida
e com serena calma a teu fim chegas.

Tão sem memória vem teu ocidente
que, ao seres de breves cinzas breve cópia,
notícia não dará do que é luzente;
fumo será teu fim, pira não imprópria;
deixarás sombra em tudo, mas somente
não deixarás a sombra de ti própria.

Francisco de La Torre Sevil

terça-feira, setembro 20, 2005

PALESTRAS E TERTÚLIAS EM AMBIENTE LIGADO ÀS ARTES

A Galeria Matos Ferreira, ao Bairro Alto, sita mais precisamente no Nº 18 da Rua Luz Soriano, promove, na próxima Sexta-Feira, 23 de Setembro, pelas 21,30 horas, mais uma das habituais tertúlias da série ASTROLOGIA E SABERES ANCESTRAIS em que serão animadores LUIS RESINA e NUNO SERRÃO.

“Desde as eras mais recuadas, os nossos antepassados começaram a observar as estrelas e o seu movimento aparente, associando as diferentes configurações nos céus com as sucessivas épocas e estações do ano.

As estrelas tornaram-se, assim, na base a partir da qual se constituíram os primeiros calendários. Por outro lado, os Homens procuraram nos céus as suas primeiras “bússolas”.

Todas as grandes civilizações, dos Chineses aos Maias, passando pelos Sumérios e Egípcios, procuraram nos céus a explicação para os fenómenos terrenos. De tudo isto falar-se-á nas Tertúlias das sextas-feiras: “ASTROLOGIA E SABERES ANCESTRAIS”.

A 24 de Setembro, Sábado, JOÃO MEDEIROS proferirá igualmente às 21 horas uma interessante palestra, subordinada ao tema OS CICLOS ASTROLÓGICOS DE PORTUGAL.

“Nenhum indivíduo pode evoluir seriamente sem transformar a civilização que o inclui e, da mesma forma, nenhuma sociedade pode evoluir sem que haja liberdades que se formem. Do amor entre o indivíduo e o colectivo nascem os novos Universos, novas eras.

O colectivo presente é a aldeia global e, ainda antes disso, a Nação a que pertencemos. Do amor dos Portugueses ao Mundo, através de Portugal, nascerão novas civilizações, como já nasceram antes com os Descobrimentos.

A palestra OS CICLOS ASTROLÓGICOS DE PORTUGAL pretende transmitir num raciocínio cíclico coerente, aproximadamente, o presente, o passado e o futuro de Portugal.

Estes ciclos astrológicos de Portugal com uma duração fixa verificável - de 256 anos cada - marcaram a I Dinastia, o período conjunto da II e da III Dinastias e, posteriormente, da IV Dinastia, situando-nos actualmente a meio do quarto ciclo astrológico.”

A entrada é livre e está assegurado, como sempre, um serviço de bar permanente até ao final dos referidos eventos.

sexta-feira, agosto 19, 2005


EXPOSIÇÃO DE PINTURA EM SESIMBRA - "Abstracção e Realidade Difusa"

A partir do próximo Domingo, dia 21 e até 4 de Setembro, estará patente ao público na Galeria Municipal de Sesimbra mais uma exposição de pintura da minha amiga Isabel Castilho.
Diariamente, das 9 às 20 horas.
Gostaria de passar umas horas diferentes? Então aproveite, e vá até lá.